quinta-feira, 9 de setembro de 2010

PRECISO DE ALGUÉM...

Que me olhe nos olhos quando falo.
Que ouça as minhas tristezas e neuroses com paciência.

Preciso de alguém, que venha brigar ao meu lado sem precisar ser convocado, alguém amigo o suficiente para dizer-me as verdades que não quero ouvir, mesmo sabendo que posso odia-lo por isso.

Neste mundo de céticos, preciso de alguém que creia, nesta coisa misteriosa, desacreditada, quase impossivel de encontrar: A amizade.

Que teime em ser leal, simples e justo, que não vá embora se algum dia eu perder o meu ouro e não for mais a sensação da festa.

Preciso de um amigo que receba com gratidão o meu auxílio, a minha mão estendida. Mesmo que isto seja pouco para as suas necessidades.

Preciso de um Amigo que também seja companheiro, nas farras e pescarias, nas guerras e alegrias, e que no meio da tempestade, grite em coro comigo: "Nós ainda vamos rir muito disso tudo".

Não pude escolher aqueles que me trouxeram ao mundo, mas posso escolher o meu Amigo. E nessa busca empenho a minha própria alma, pois com uma amizade verdadeira, a vida torna-se mais simples, mais rica e mais bela...

Charlie Chaplin

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Porque os outros se mascaram mas tu não

Porque os outros se mascaram mas tu não
Porque os outros usam a virtude
Para comprar o que não tem perdão.
Porque os outros têm medo mas tu não.
Porque os outros são os túmulos caiados
Onde germina calada a podridão.
Porque os outros se calam mas tu não.

Porque os outros se compram e se vendem
E os seus gestos dão sempre dividendo.
Porque os outros são hábeis mas tu não.

Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos.
Porque os outros calculam mas tu não.


Sophia de Mello Breyner Andresen

domingo, 8 de agosto de 2010

BALANÇAR


Pedes-me um tempo, para balanço de vida.
Mas eu sou de letras, não me sei dividir.
Para mim um balanço
é mesmo balançar,balançar até dar balanço
e sair..
Pedes-me um sonho, para fazer de chão.

Mas eu desses não tenho, só dos de voar.
Agarras a minha mão com a tua mão

e prendes-me a dizer que me estás a salvar.
De quê?
De viver o perigo.
De quê?
De rasgar o peito.
Com o quê?
De morrer,
mas de que paixão?
De quê?
Se o que mata mais é não ver
o que a noite esconde e não ter
nem sentir o vento ardente
a soprar o coração...
Pedes o mundo

dentro das mãos fechadas
e o que cabe é pouco
mas é tudo o que tens.
Esqueces que às vezes,
quando falha o chão, o salto é sem rede
e tens de abrir as mãos.
Pedes-me um sonho

para juntar os pedaços
mas nem tudo o que parte
se volta a colar.
E agarras a minha mão

com a tua mão e prendes-me
e dizes-me para te salvar.
De quê?
De viver o perigo.
De quê?
De rasgar o peito.
Com o quê?
De morrer, mas de que paixão?
De quê?
Se o que mata mais é não ver
o que a noite esconde
e não ternem sentir
o vento ardente
a soprar o coração.

Chão - Mafalda Veiga

Poesia do Pé

Quem dá no pé quer fugir.
Ao pé da letra é resposta pronta, sem vacilação.
Quem aperta o pé só quer andar mais rápido.
Meter os pés é pagar favor com ingratidão...


Quem fala ao pé do ouvido quer conversa "em segredo".
Quem bate o pé é teimoso.
Quem bota o pé no mundo quer degredo.
Quem cai de pé é tinhoso...


Quem fica com o pé atrás é desconfiado.
Em pé de igualdade, de igual pra igual.
Se entra com o pé direito, quer ter sorte.
Se entra com o pé esquerdo, é azarado...


Quem lambe os pés, adula e bajula.
Se trata na sola dos pés, é grosseiro.
Quem não chega aos meus pés não tem importância,
É pé-de-chinelo, zé-ninguém sem dinheiro.


Se o negócio está de pé, é porque o acerto é mantido.
Se procuras um pé, buscas pretexto ou motivo.
Quem é pé-de-chumbo não progride na vida;
Mas se é pé-de-bode é trabalhador e prestativo.


Quem chega pé ante pé, vem com vagar, de mansinho;
Mas se é pé-de-guerra, cuidado que de lá vem chumbo!
Se vem pé-d'água, espere toró e aguaceiro.
Se é pé-de-vento é redemoinho...


Pé-de-gancho ou Pé cascudo é o diabo!
Quem mete o pé no estribo encaminha a viagem;
Já pé-quente é o motorista ligeiro.
Que mete o pé na tábua quando some na paisagem.


Se digo pé-de-página falo de rodapé de livro.
Já pé-de-moleque é doce de rapadura.
Para o pedreiro coluna de casa é pé-direito.
E pé-duro é caipira da roça, sem cultura...


Pé na cova é o doente nas últimas.
Azarado e sem sorte chamam de pé-frio.
Quem se arruína mete o pé no atoleiro.
Acaba pé-rapado, sem dinheiro nem brio.
Quem pisa no pé quer provocação;


Mas quem tem tirocínio, tem sempre os pés-no-chão... !

A Poesia é de Alexandre Pelegi, mas o pé é meu.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

depois....

Convencemo-nos de que a vida será melhor depois...

Depois de terminar o curso,
depois de conseguir trabalho,
depois de casarmos,
depois de termos um filho,
e então, depois de termos outro.


Logo sentimo-nos frustrados porque os nossos filhos não são suficientemente grandes,
e pensamos que seremos mais felizes quando crescerem e deixarem de ser meninos,
depois desesperamo-nos porque são adolescentes, difíceis de aturar.
Pensamos: Seremos mais felizes quando deixarem essa fase.


Logo decidimos que nossa vida será completa quando o nosso cônjuge estiver melhor, quando tivemos um carro melhor, quando pudermos ir de férias, quando conseguirmos progredir, quando nos reformarmos.


A verdade é que NÃO HÁ MELHOR MOMENTO PARA SER FELIZ DO QUE AGORA MESMO.


Se não for agora, será quando? A vida estará sempre cheia de logros, de desafios. É melhor admiti-lo e decidir ser feliz agora de todas as formas. Não há um truque, nem um caminho para a felicidade, a felicidade é o caminho e é AGORA.


APROVEITA CADA MOMENTO QUE VIVES


E aproveita bem, por tê-lo partilhado com alguém especial; tão especial que o levas no teu coração, recorda que: O TEMPO NÃO ESPERA.


Assim, deixa de esperar até que termines a Universidade, até que saias de casa, até que te apaixones, até que encontres trabalho, até que te cases, até que tenhas filhos, até que te divorcies, até que percas esses dez quilos...


...até sexta à noite ou até domingo de manhã, até à Primavera,ao Verão, ao Outono ou ao Inverno, ou até que morras, para decidir que não há melhor momento do que, justamente, ESTE PARA SERES FELIZ!


A FELICIDADE É UM TRAJECTO, NÃO É UM DESTINO.


TRABALHA COMO SE NÃO NECESITASSES DE DINHEIRO,
AMA COMO SE NUNCA TE TIVESSEM MAGOADO,
E DANÇA COMO SE NINGUÉM TE ESTIVESSE A VER.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Começar de novo...

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança
Todo o mundo! composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.
Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.
O tempo cobre o choro de verde manto,
Que já foi coberto de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.
E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto
Que não se muda já como sorria.

Grande amigo,
Gonçalo Almeida

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

tantra totem...

8. Nunca ria dos sonhos dos outros,
quem não tem sonhos tem muito pouco.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Sou...

Sou o quê?

Não sou flor, mas “murcho” como elas quando não tenho amor, carinho, se não me estimularem, provocarem, “picarem”...

Mas não sou flor de estufa, não me dêem tudo ou morro na mesma,
que tipo de flor serei?

Talvez erva daninha, talvez silvestre, talvez uma “flor” do mar?!
Se me tocam fecho-me, mas também me abro e me solto!

Vivo presa à rocha, odeio vaguear!

Mas eu quero vaguear, quero ser alga, quero andar ao sabor da corrente
e conhecer todos os peixes do mar!

Saboreá-los, saltitar de um para outro,
sem olhar para trás, sem pensar!

Porque não?!

Eu quero!

Quero ser planta aérea, sem raízes fixas à terra,
gosto de desatinar, adoro desatinar,
mas até para desatinar sou “atinada”!

alguém me explica o que sou então???
Mulher/Bicho?
Flor/Cacto?
Gato/Cão?
Presença/Ausência?
Sim/Não?
Branco/Preto?
Ar/Terra?
Água/Fogo?
Doce/Salgado?
Amor/Ódio?
SEXO/sexo?
Alegria/Tristeza?
Bom/Mau?
Riso/Lágrima?

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

DEFICIÊNCIAS por Mário Quintana

'Deficiente' é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.

'Louco' é quem não procura ser feliz com o que possui.

'Cego' é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.

'Surdo' é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.

'Mudo' é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.

'Paralítico' é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.

'Diabético' é quem não consegue ser doce.

'Anão' é quem não sabe deixar o amor crescer.

E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:

A amizade é um amor que nunca morre.

domingo, 30 de dezembro de 2007

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

terça-feira, 18 de dezembro de 2007

You could buy me diamonds or pearls...


But you can't buy my love...

Sometimes the road of love is never to far...

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Chico Buarque de Holanda & Mina



Um dia ele chegou tão diferente do seu jeito de sempre chegar
Olhou-a dum jeito muito mais quente
do que sempre costumava olhar
E não maldisse a vida tanto quanto
era seu jeito de sempre falar
E nem deixou-a só num canto,
pra seu grande espanto convidou-a pra rodar
Então ela se fez bonita como há muito tempo não queria ousar
Com seu vestido decotado cheirando a guardado de tanto esperar
Depois os dois deram-se os braços
como há muito tempo não se usava dar
E cheios de ternura e graça foram para a praça
e começaram a se abraçar
E ali dançaram tanta dança que a vizinhança toda despertou
E foi tanta felicidade que toda a cidade se iluminou
E foram tantos beijos loucos
tantos gritos roucos como não se ouvia mais
Que o mundo compreendeu e o dia amanheceu em paz.

Valsinha
Poema de Vinicius de Moraes

terça-feira, 4 de dezembro de 2007



Quero sempre poder ter um sorriso estampado no meu rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre...









Certezas
Mário Quintana

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Ciao Bella



Turquoise Marilyn 1962
serviu de inspiração a um artista plástico americano, Andy Warhol um dos iniciadores e expoentes da POP ART.

domingo, 2 de dezembro de 2007

The Fray




How to save a life (Grey's anatomy)

Step one you say we need to talk
He walks you say sit down it's just a talk
He smiles politely back at you
You stare politely right on through
Some sort of window to your right
As he goes left and you stay right
Between the lines of fear and blame
You begin to wonder why you came

Where did I go wrong, I lost a friend
Somewhere along in the bitterness
And I would have stayed up with you all night
Had I known how to save a life

Let him know that you know best
Cause after all you do know best
Try to slip past his defense
Without granting innocence
Lay down a list of what is wrong
The things you've told him all along
And pray to God he hears you
And pray to God he hears you

Where did I go wrong, I lost a friend
Somewhere along in the bitterness
And I would have stayed up with you all night
Had I known how to save a life

As he begins to raise his voice
You lower yours and grant him one last choice
Drive until you lose the road
Or break with the ones you've followed
He will do one of two things
He will admit to everything
Or he'll say he's just not the same
And you'll begin to wonder why you came

Where did I go wrong, I lost a friend
Somewhere along in the bitterness
And I would have stayed up with you all night
Had I known how to save a life

Where did I go wrong, I lost a friend
Somewhere along in the bitterness
And I would have stayed up with you all night
Had I known how to save a life
How to save a life
How to save a life

Where did I go wrong, I lost a friend
Somewhere along in the bitterness
And I would have stayed up with you all night
Had I known how to save a life

Where did I go wrong, I lost a friend
Somewhere along in the bitterness
And I would have stayed up with you all night
Had I known how to save a life
How to save a life

sexta-feira, 30 de novembro de 2007

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

wear sun screen - use filtro solar

Não podem deixar de ver isto,

cliquem no endereço abaixo indicado e desfrutem de 7 minutos de nostalgia e de uma previsão para o futuro. Fantástico!

www.youtube.com/watch?v=bIwAeTNlxr0

terça-feira, 27 de novembro de 2007

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Vida

“Já perdoei erros quase imperdoáveis,
tentei substituir pessoas insubstituíveis
e esquecer pessoas inesquecíveis.

Já fiz coisas por impulso,
Já me decepcionei com pessoas
quando nunca pensei me decepcionar,
mas também decepcionei alguém.

Já abracei pra proteger,
Já dei risada quando não podia,
Já fiz amigos eternos

já amei e fui amado,
mas também já fui rejeitado,
Já fui amado e não soube amar.

Já gritei e pulei de tanta felicidade,
já vivi de amor e fiz juras eternas,
mas "quebrei a cara" muitas vezes!

Já chorei ouvindo música e vendo fotos,
Já liguei só pra escutar uma voz,
Já me apaixonei por um sorriso,

Já pensei que fosse morrer de tanta saudade e......
tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo)!
Mas sobrevivi!

E ainda vivo!
Não passo pela vida...
e você também não deveria passar.
Viva!!!

Bom mesmo é ir a luta com determinação,
abraçar a vida e viver com paixão,
perder com classe e vencer com ousadia,
porque o mundo pertence a quem se atreve
e A VIDA É MUITO para ser insignificante"

Charlie Chaplin

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Try a different angle.

onde toda a gente via o vento
(alguém viu um planeta melhor)

Dinamarca 1891 - Poul La Cour, professor e inventor, criou as suas próprias turbinas de produção de energia eólica para alimentar a iluminação da sua escola.

Mais de um século depois, a sua invenção inspirada na força do vento continua a ser um bem fundamental.

(Anúncio Grant's saiba mais em www.grants.com.pt )

Um Azar do Caraças!

video

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

The House Rules

1. If you open it, close it;
2. If you turn it on, turn it off;
3. If you unlock it, lock it;
4. If you break it, repair it;
5. If you can't fix it, call in someone who can;
6. If you borrow it, return it;
7. If you make a mess, clean it up;
8. If you move it, put it back;
9. If it belongs to somebody else and you want to use it, ask;
10. If you move it, put it back;
11. If you don't know how to operate it, leave it alone;
12. If it doesn't concern you, don't mess with it.

segunda-feira, 12 de novembro de 2007


assim sou eu,
um ser inacabado e cheio de dúvidas....

quarta-feira, 7 de novembro de 2007


kiss me that way,

then look deep into my eyes and see,

the pieces of my soul finaly come back...

Quem Sabe um Dia

Quem Sabe um Dia
Quem sabe um seremos
Quem sabe um viveremos
Quem sabe um morreremos!

Quem é macho? Quem é fêmea?
Quem é humano, apenas!

Sabe amar, Sabe de mim e de si
Sabe de nós, Sabe ser um!

Um dia, Um mês, Um ano, Um(a) vida!

Sentir primeiro, pensar depois
Perdoar primeiro, julgar depois
Amar primeiro, educar depois
Esquecer primeiro, aprender depois
Libertar primeiro, ensinar depois
Alimentar primeiro, cantar depois
Possuir primeiro, contemplar depois
Agir primeiro, julgar depois
Navegar primeiro, aportar depois

Viver primeiro, morrer depois


[Quem Sabe um Dia]
Mário Quintana

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Monotonia

Convido-te a lutares contra a monotonia e a colorires cada dia de cores diferentes, de tons diferentes.

Se não conseguires, convido-te a apurares a visão. Verás que tudo mudou, sem te dares conta.

Dirás então que o teu contributo não é necessário e eu acenarei negativamente a cabeça e estender-te-ei a mão e tu saberás que vejo o mundo através de ti.

autor desconhecido

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Amor...

Amor é vento que passa e mal se sente...

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Dedicado a aniluap e Bikas :)

Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração para de funcionar por alguns segundos, preste atenção. Pode ser a pessoa mais importante da sua vida.
Se os olhares se cruzarem e neste momento houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.
Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante e os olhos encherem d'água neste momento, perceba: existe algo mágico entre vocês.
Se o primeiro e o último pensamento do dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: Deus te mandou um presente divino: o amor.
Se um dia tiver que pedir perdão um ao outro por algum motivo e em troca receber um abraço, um sorriso, um afago nos cabelos e os gestos valerem mais que mil palavras, entregue-se: vocês foram feitos um pro outro.
Se por algum motivo você estiver triste, se a vida te deu uma rasteira e a outra pessoa sofrer o seu sofrimento, chorar as suas lágrimas e enxugá-las com ternura, que coisa maravilhosa: você poderá contar com ela em qualquer momento de sua vida.
Se você conseguir em pensamento sentir o cheiro da pessoa como se ela estivesse ali do seu lado... se você achar a pessoa maravilhosamente linda, mesmo ela estando de pijamas velhos, chinelos de dedo e cabelos emaranhados...
Se você não consegue trabalhar direito o dia todo, ansioso pelo encontro que está marcado para a noite... se você não consegue imaginar, de maneira nenhuma, um futuro sem a pessoa ao seu lado...
Se você tiver a certeza que vai ver a pessoa envelhecendo e, mesmo assim, tiver a convicção que vai continuar sendo louco por ela... se você preferir morrer antes de ver a outra partindo: é o amor que chegou na sua vida. É uma dádiva.
Muitas pessoas apaixonam-se muitas vezes na vida, mas poucas amam ou encontram um amor verdadeiro. Ou às vezes encontram e por não prestarem atenção nesses sinais, deixam o amor passar, sem deixá-lo acontecer verdadeiramente.
É o livre-arbítrio. Por isso preste atenção nos sinais, não deixe que as loucuras do dia a dia o deixem cego para a melhor coisa da vida: o amor.

Amor
Carlos Drummond de Andrade
Dedicado às minhas queridas primas
Paulina e Beatriz

terça-feira, 23 de outubro de 2007

Sweet Dreams

Sweet dreams are made of this
Who am I to disagree?
I travel the world
And the seven seas
Everybody's looking for something.

Some of them want to use you
Some of them want to get used by you
Some of them want to abuse you
Some of them want to be abused.

Hold your head up
Keep your head up
MOVIN' ON

Sweet Dreams (Are Made of This)
Eurythmics

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Pensamento do dia

Aqui está um pensamento com o qual me identifico cada vez mais.
Porque não partilharmos com os outros o pouco que sabemos, ou aprendemos?
Porque não nos ajudarmos uns aos outros nas dificuldades?
Lembra-te os problemas de outros hoje, podem amanhã ser os teus...

"Uma vela não ilumina menos por passar luz para uma outra vela."

Autor desconhecido

terça-feira, 9 de outubro de 2007

sábado, 6 de outubro de 2007

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

1 minuto de silêncio

1 minuto de silêncio é um livro, com 60 textos inéditos de autores, conhecidos de todos nós. Que usaram da palavra para descrever o silêncio. As receitas dos direitos de autor deste livro revertem para a APS, Associação Portuguesa de Surdos.

Visitem o site, http://www.umminutodesilencio.net/Public/Normal/pt-PT/pagina_inicial.aspx onde terão oportunidade de ler excertos dos textos publicados, eu escolhi 2, um pela a(l)titude, outro pela dimensão do nada, porque só nestes 2 mundos se pode encontrar o verdadeiro silêncio, que nem eles, apesar da sua coragem e perseverança, desafiaram quebrar.


«Necessito deste meu espaço, deste meu jogo, desta minha forma de expressão, Até que um dia, este minuto se propague para sempre.» João Garcia, Alpinista.


«Era o deserto… estava a vivê-lo pela primeira vez! Mas se tivesse que dar-lhe um nome… chamar-lhe-ia “Silêncio”.» Elisabete Jacinto, Piloto.

Silêncio

silêncio? O que é silêncio?
uma palavra inventada pelos ouvintes?
explica-me tu, o que é o silêncio?
olhas-me assim? a viver no silêncio?
ser Surda é ser Silêncio?
vou ao dicionário, folheio nas últimas folhas
vou ao “S”…. encontro “Surdo”
“que ou aquele que não ouve”
sou aquele que não ouve? é assim que me vês?
vou ao “silêncio”
“ausência de ruído”ruído? O que é o “ruído”?
mais uma palavra do ouvinte.
não, desconheço o silêncio
desconheço o ruído
desconheço estas palavras.
simplesmente, não ouço?
ouço sim, ouço as minhas mãos,
ouço as tuas as minhas mãos é que são a minha voz
são elas que fazem encantar
são elas que fazem escrever estas palavras
são elas que fazem gestos, sabes o que é o gesto?
gestos são palavras esculpidas.
mas silêncio e ruído
desculpe mas não os conheço!

Marta Morgado
Associada da APS
Associação Portuguesa de Surdos

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

domingo, 16 de setembro de 2007

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

primeira aula


São sem dúvida 45min bem passados, contudo ainda não consigo exprimir uma opinião sobre a minha primeira experiência em aula de pilates.
Tudo é feito com calma e serenidade, mas ao mesmo tempo temos de coordenar inúmeros movimentos e dar ordens a várias partes do nosso corpo, o que nos obriga a pensar e a fazer muita força física e mental.

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

domingo, 9 de setembro de 2007

Se um dia perderes a direcção da lua...
olha para a sombra que tens colada aos teus pés!

sábado, 8 de setembro de 2007


Hoje acordei assim, com vontade de dizer ao mundo que não estou aqui.

Não me perguntem se estou bem, nao queiram saber de mim, deixem-me assim. Quieta, inerte, sem vontade de olhar em frente, sem vontade de ver a vida que tem de ser vivida, só está a espera do meu sinal para continuar a sua longa marcha.

Há dias assim, há pessoas assim...

Há dias em que sem nos apercebermos tomam um rumo diferente e parece que deixamos de tomar as rédias da situação.
Há pessoas assim, que sem nós nos apercebermos tomam a nossa vida como se fosse delas e tentam manipulá-la sem pedir a nossa opinião.

Hoje acordei assim... desliguei o tlm, não estou para ninguém, morri...

sexta-feira, 7 de setembro de 2007

no CCB...



Respiro fundo
E lembro-me da força
Guardo dentro do meu corpo
Espero que ela ouça

Todo o amor deste mundo
Perdido num segundo
Todo o riso transformado
Num olhar apagado
Toda a fúria de viver
Afastada do meu ser
Até que um dia acordei
Vi que estava a perder
Toda a força que cresceu
Na vida que deus me deu
A vontade de gritar bem alto:
"O MEU AMOR MORREU"
Todo o mundo há-de ouvir
Todo o mundo há-de sentir
Tenho a força de mil homens
Para o que há de vir

Flashback instantâneo
Prazer momentâneo
Penso e digo até
Que bate duro
No meu crânio
Toda a dor
Toda a raiva
Todo o ciúme
Toda a luta
Toda a mágoa e pesar
Toda a lágrima enxuta
Odiando como posso
Não posso encher a cabeça
Não há dinheiro
Nem vontade
Ou amor que o mereça
Não vou pensar de novo,
Vou-me pôr novo
Neste dia novo
Estreio um coração novo

Visto-me de branco
Bem alegre no meu luto
Saio para a rua
Mais contente que um puto
Acredita que custou
Mas finalmente passou
No final do dia
Foi só isto que restou.


Força
DA WEASEL